segunda-feira, 4 de julho de 2011

Mauro Issler: "Críticas do Estadão foram construtivas"

Secretário rebateu críticas da imprensa
Semanas após a devastadora matéria publicada pelo jornal O Estado de São Paulo, Mauro Issler manifesta-se sobre as críticas feitas ao seu trabalho. Em entrevista concedida via assessoria de imprensa ao Panorama, o polêmico secretário dá sua versão dos fatos e afirma: "A administração Coiti Muramatsu está resolvendo todos os problemas citados".
Leiam, abaixo, a entrevista na íntegra:

Panorama: De que forma o senhor e sua secretaria encaram as críticas feitas pelo jornal O Estado de São Paulo?
Mauro Issler:  Como críticas construtivas. A Prefeitura de Ibiúna enfrentou muita dificuldade no início da gestão Coiti Muramatsu, devido às dívidas e precariedades deixadas pela administração anterior (N.E: Fábio Bello). No entanto, com muito trabalho e esforço, estamos conseguindo mudar a situação. Prova disso aconteceu no Hospital Municipal, por exemplo, que hoje conta com atendimento de ótima qualidade. Da mesma forma que trabalhamos na saúde, investimos também nos demais setores e o Turismo não está fora dessa leva. Pelo contrário, as documentações pendentes para a construção da ciclovia e pista de caminhada saíram e as obras começam agora, em julho. Referente a sinalização, uma das críticas citadas pelo jornal O Estado de São Paulo, conseguimos um recurso para trabalhar em prol de mais essa melhoria para a cidade. O que queremos deixar claro é que não estamos de braços cruzados para as deficiências do município, pelo contrário, estamos trabalhando para mudar, melhorar. Somos moradores de Ibiúna e queremos o melhor para a cidade e, consequentemente, para a população.

A repercussão da matéria influenciará, de alguma maneira, a forma como o senhor vem conduzindo a pasta?

Muitas pessoas entraram em contato com a secretaria, solidarizando conosco e nos oferecendo ajuda quanto à divulgação das melhorias que Ibiúna tem conquistado. A matéria reforça a importância fundamental da APRECESP, associação que congrega as cidades estâncias, da qual Ibiúna faz parte. Inclusive, a reportagem revela para o governo estadual que deve cuidar melhor das cidades estâncias, e isso inclui Ibiúna.

Já foram tomadas providências no que diz respeito à sinalização turística e outras deficiências apontadas pela matéria?
Como citado na primeira questão, a Secretaria é ciente das melhorias que o município carece. Vários projetos que melhorariam as condições gerais na cidade foram encaminhados muito antes da publicação da matéria e estão em vias de acontecer. Estes projetos não se restringem apenas à secretaria de Turismo e Cultura. Na matéria, são citados problemas de segurança, de saneamento, eletrificação em todas as estâncias e, no caso de Ibiúna, a administração Coiti Muramatsu, através das outras secretarias, está resolvendo absolutamente todos os problemas citados e vem fazendo isso sistematicamente.

Nota do Editor:
Respondeu, o Panorama publica. Mas, a pergunta que não quer calar é: o discurso de Issler convence??

Dizem por aí
Frases, ditos e impropérios dos bastidores da política

"O segredo de uma boa administração é um só: NÃO DAR LADO PARA VEREADOR"
Lendário ex-prefeito de Ibiúna, sobre seu conhecido método de governo. 

"Obra?? Obra?? O que interessa é dinheiro no bolso!!"
Nobre vereador, mostrando que, talvez, o ex-prefeito da frase acima tenha razão.

"O Fábio só esqueceu de dizer que, para ele assumir, o títular tem que renunciar e os outros seis suplentes têm de morrer"
Cidadão ibiunense, divertindo-se com as propagandas espalhadas por um ex-prefeito

5 comentários:

  1. Ilustre blogueiro,

    É preciso dar ao nobre Secretário de Turismo o mesmo tratamento que se dá ao suplente, do suplente, do suplente, do suplente, do suplente, do suplente (já deu 7? Não, falta mais um?) então, do suplente de deputado estadual peemedebista, pois, falta-lhe, também, a mesma transparência no tratamento da verdade. Não é preciso mentir para ser um pop star político, porque a verdade é mais resistente que o tempo, ou seja, mais cedo ou mais tarde, ela vem à tona e ai o cara de pau vai ter que inventar uma nova mentira ou partir para o “enroleixom-embromeixom” do VEJA BEM!.

    O que nos assusta, ainda, é que a pobreza na argumentação do entrevistado pela assessoria de imprensa da prefeitura é tão grande que ele nem sequer evoluiu nas desculpas iniciais do governo vacilante. Já estamos no terceiro ano da sua administração a frente da secretaria de turismo e ele ousa dizer que não faz nada porque “A Prefeitura de Ibiúna enfrentou muita dificuldade no início da gestão Coiti Muramatsu, devido às dívidas e precariedades deixadas pela administração anterior”. A frase verdadeira seria assim “recebemos o ativo da prefeitura com problemas, como todos os nossos antecessores, com dívidas altas e carências administrativas, mas, com a melhor arrecadação dos últimos trinta anos e, mesmo assim, somos incompetentes para resolver os problemas do município”.

    Lamentavelmente, fiz parte do projeto de lei que criou a secretaria de turismo em Ibiúna, porque tínhamos conquistado o título de estância turística e hoje reconheço que nada foi mais ineficiente do que esse órgão na administração pública de Ibiúna. Aliás, no projeto de reorganização administrativa de 1999/2000 esse fato já tinha sido previsto pelo CEPAM, quando concluiu que deveríamos enxugar a estrutura da prefeitura, acabando com as folclóricas secretarias, sem autonomia, e estruturar os departamentos da prefeitura de Ibiúna em diretorias municipais. No início desta administração, fiz uma cópia desse projeto, que já havia sido aprovado pelo legislativo, chegar às mãos do Darcy, que até elogiou o trabalho. Mas acho que o relatório foi parar no lixo, para encaixar todos os companheiros decapitados na gestão do vice-prefeito. O mais incrível é que a pior secretaria, desse secretário, ainda resista a interinidade municipal por tanto tempo. Acho que é por essa razão que o secretário, sabendo que não tem o que fazer, desvia o assunto da sua responsabilidade falando do que fazem nas outras secretarias. É lamentável ou não é?

    Porque ele não dá um destino melhor ao monumento do agricultor, pega um pincel e vai pintar de MARROM a placa AZUL do quiosque de informações turística de Ibiúna, fala a verdade sobre o Hospital Municipal que ainda é só um pronto-atendimento e, por fim, não conta que essa tal verba da decantada pista (que vai resolver todos os problemas de Ibiúna) não chega porque a prefeitura está com a CND (Certidão Negativa de Débito) imprópria para receber as verbas dos financiamentos?

    O jornalista do estadão, na sua gana de espicaçar Ibiúna, até que foi superficial. E não acreditem nas muitas pessoas que entraram em contato se oferecendo para ajudar na divulgação das melhorias, pois, na certa, são aqueles mesmos ávidos de levar alguma vantagem no episódio ou são cegos.

    ResponderExcluir
  2. Sabe quando esse mauro vai cair na prefeitura?Nunca!Ele abaixa a cabeça pra tudo que os japas falam diferente do adal que pagou pela sinceridade. Enquanto isso Deus que tenha piedade de nossa IBIUNA.

    ResponderExcluir
  3. CRITICAR É FÁCIL6 de julho de 2011 06:12

    DISCORDO.TODOS SABEM O QUANTO O GOVERNO DO SR.FÁBIO BELLO ATRAPALHOU IBIÚNA.NÃO FOSSE ISSO TALVEZ O DARCY TIVESSE VIVO. MAS COITADO NÃO AGUENTOU TANTOS PROBLEMAS E MORREU.AS PESSOAS CRITICAM O MAURO MAS NÃO ESTÃO LÁ NO DIA A DIA FAZENDO ACONTECER. O SR. MILTON GIANCOLI POR EXEMPLO. FOI SECRETÁRIO E NÃO FAZ NADA DE NADA NA PASTA. SERÁ QUE ELE FOI FUNCIONÁRIO FANTASMA???É O QUE DIZEM.ENTÃO QUEM É ELE PRA FALAR DO MAURO DE FULANO OU DE SICRANO???AH É!! O SR. MILTON GIANCOLI É AQUELE QUE CRITICOU O SR.JONAS DE CAMPOS MAS DEPOIS DEBANDOU PRO LADO DELE.DEPOIS FEZ A MESMA COISA COM O SR.FÁBIO BELLO.
    E O BRUNÃO É OUTRO QUE TEM A ESPOSA DENTRO DA PREFEITURA E SABE DA DIFUCLDADE MAS PREFERE FAZER O QUE SEMPRE FEZ NA VIDA: CRITICAR CRITICAR CRITICAR.
    VAMOS SUGERIR AO PREFEITO NOMEAR ESSES NOBRES JORNALISTAS PRA PASTA QUE TAL?SERÁQUE VÃO FAZER ALGUMA COISA?DUVIDO.

    ResponderExcluir
  4. Prezado Bruno,

    Porque esse falastrão não dá o nome para sabermos se tem crédito para nos acusar. Reza o nosso código de ética que o jornalista ou o órgão de imprensa não é obrigado a revelar sua fonte. No entanto pergunto, o Panorama mantém um registro dos pseudônimos e anônimos como exige a lei de imprensa? Veja que, como Blog, ainda se discute se está sujeito a mesma lei ou não? Mas, se não me engano, até dias atrás se identificava como Jornal Panorama, e isso ainda deve estar valendo. Ademais, na minha opinião, um sujeito que se identifica como "CRITICAR É FÁCIL", se esconde para dizer o que pensa, mas, tem medo de ouvir o que eu penso dele. Certo?

    Agora, quanto a questão do que eu fiz como secretário, mesmo não querendo fulanizar este comentário, o mal informado deveria consultar os anais da prefeitura para saber que, queiram ou não, “vai ter que me engolir” pois o meu nome consta como real ativista de vários feitos da prefeitura que deram certo, como a fundação da Guarda Municipal, o fechamento da IDESU, a criação do SERLA, a compra da área do primeiro aterro sanitário de Ibiúna, no último Plano Diretor, na conquista da área da Granja Saito para o núcleo industrial, muitos projetos de lei e na formação dos primeiros conselhos municipais. Penso que, na certa, esse tal "CRITICAR É FÁCIL" é um desses bananas que também tinham cargo na prefeitura e agora imagina que eu não posso criticar. Errou bacana! Ainda nem comecei.

    Quanto ao Jonas, quero dar o testemunho pessoal de quem nunca escondeu o que pensa a seu respeito, tanto nos entendimentos como nas discórdias. Para as próximas eleições, até agora, o Jonas seria o melhor candidato a prefeito de Ibiúna, se topasse esse desafio. Tem experiência, tem moral elevada e me orgulharia muito tê-lo, novamente, como meu prefeito e representante público da minha cidade, para mostrar o que ele poderia fazer com a experiência que adquiriu, a duras penas, no governo estadual; longe da família, dos amigos e da sua gente. Coisa rara entre certos políticos de Ibiúna. Saiu do último mandato com problemas, vendendo propriedades para se sustentar e não exitou em ir buscar o sustento da sua família trabalhando longe de casa. Isso tem peso e méritos indiscutíveis.

    Finalmente, quanto a ser secretário nesta gestão, dispenso, pois nisso você tem razão, secretário agora virou turista de plantão, só dura poucos meses e não consegue fazer nada. E não é porque eles não querem fazer, na verdade, eles não são nada mesmo, para essa prefeitura de vacilões. Tanto que, só nesta gestão, quantos não foram para a rua sem qualquer explicação? Isso é democracia? Te enxerga falastrão!

    ResponderExcluir
  5. Eu queria postar uma resposta melhor ao "criticar é fácil". Mas a coisa anda apurada aqui no jornal que vou ter de ser breve.

    Aceito comentários anônimos aqui no blog (BLOGUE) Panorama, desde que não façam graves ofensas, ameaças, acusações falsas etc. Agora, o que vocês não acreditariam é na quantidade de comentários anônimos que recebo, ofendendo a mim, à minha família, às autoridades municipais, ex-prefeitos, ex-vereadores etc. Acreditem: a coisa é pesada e, sem a prerrogativa do anonimato, os responsáveis por tais sandices teriam um belo problema legal para esquentar a cabeça.

    Mas, vamos lá, meu caro "Criticar é fácil", farei algumas observações sobre seu comentário. Você, meu amigo, é a personificação os oportunistas e opositores de plantão. Seu discurso é, sem sombra de dúvida, a síntese perfeita do que eles dizem por aí.

    Em 11 anos de carreira no jornalismo NUNCA tive minha reputação manchada. NUNCA perdi um processo ( e saiba que respondi a vários) pelo fato de sempre pautar minha conduta pela responsabilidade e respeito à verdade.

    Logo, aqueles que já levaram uma bela cacetada deste que vos escreve (e não foram poucos) sempre ansiaram pela oportunidade de me "dar o troco". Saiba você, "Criticar é fácil", que já tive minha vida pessoal e profissional virada e revirada pelos babacas de plantão, sem que fosse encontrado nada que pesasse contra minha reputação. Goste ou não goste de mim ou do que escrevo, são todos obrigados a engolir que sou um jornalista íntegro e independente, que não recebe um tostão de quem quer que seja para falar bem ou mal. Não faço politicagem, não abaixo a cabeça para os "donos do poder" e tampouco pratico o "ACHAQUE", tão em voga entre colegas de profissão ibiunense.

    Minha credibilidade jornalística é inatacável.e até os desafetos são obrigados a admitir isso.

    Os mais teimosos tentam, é verdade, uma associa~ção canhestra entre meu trabalho e a vida pessoal de minha irmã - bem como a escolha profissional de minha noiva.

    Agora, esse "Criticar é fácil" vai mais longe. Ao ver que, mesmo com noiva e cunhado na prefeitura, a porrada (quando merecida) vem quente, partiu para outra estratégia. Critica-me por que faço críticas (rs).

    Ou seja, se não critico sou errado.
    Se critico, sou errado também.

    Pois é, meu amigo, quem sabe seu nick não seja tão correto assim e criticar não seja tão fácil quanto dizem.

    Abraços e obrigado pela audiência.

    ResponderExcluir

Seu comentário foi enviado e, em breve, será publicado.