segunda-feira, 13 de junho de 2011

O Estadão tem razão


Mauro Issler: inércia

Saiu no jornal O Estado de São Paulo: Em Ibiúna, faltam placas e guias turísticos. A matéria, assinada por José Maria Tomazela, está coberta de razão e reafirma o que este blogueiro já havia escrito aqui. No que diz respeito ao turismo, Ibiúna não engatinha. Rasteja. Desde que o título de estância foi concedido ao município, perdeu-se a conta de quantos secretários assumiram a pasta sem que nada de concreto e estratégico fosse feito.

Não se pode admitir que o cenário, hoje, mantenha contornos negativos tendo à frente um indivíduo que, em tese, é tarimbado para desempenhar a função - como é o caso de Mauro Issler. Logo, se a atuação dele tem sido um desastre a olhos vistos, isso se deve a dois fatores: falta de boa vontade e falta de competência.

Uma grande bobagem

A reportagem de Tomazela aponta, entre outras coisas, a ausência de um guia turístico em Ibiúna. Eu concordo. Uma estância que se preze deve ter um material de divulgação à altura. São Roque e Piedade (que sequer ostenta o título de estância) já têm os seus.

Essa, entretanto, não parece ser uma das preocupações do secretário Issler. Em julho de 2010, há quase um ano, eu o procurei com a proposta de elaboração de um guia. O material contemplava mapas, divulgação das principais atrações, calendário de eventos, telefones úteis, relações de hospedagens, roteiros etc. A recepção à proposta foi  fria e desinteressada.


Guia abordaria principais pontos
 O golpe de misericórdia veio quando Mauro Issler soltou a deixa, em uma de nossas conversas informais: "Olha, Bruno, eu queria fazer um guia, mas, não podemos deixar a oposição nos acusar de gastar dinheiro com bobagem". As palavras foram exatamente essas. Para o Secretário de Turismo, a confecção de um guia abrangente e bem feito é uma "bobagem".

Diante de tamanho descaso, desisti.

Sinalização

A matéria do Estadão, em sua sabedoria e pertinência, também faz menção à falta de sinalização. Pudera! Indicar o caminho dos equipamentos turísticos a ibiunenses e visitantes era o mínimo que Mauro Issler poderia fazer, porém, não fez. E, ao que tudo indica, não fará tão cedo. O argumento para justificar a barbárie, muito provavelmente, será a velha ladainha da falta de verbas diante da carência do município em outros setores. Mas a previsível ( e já utilizada) defesa de Issler, desta vez, não serve.


Ministro Barreto: apoio às estâncias
 Enquanto o atual secretário permanecer disposto a trabalhar, apenas, com os recursos que têm imediatamente à mão, pouca coisa mudará. Há outros caminhos para que Ibiúna consiga investimentos e verbas para o setor. O Ministério do Turismo, por exemplo,  possui um macroprograma de infraestrutura pública das estâncias, o que inclui projetos de sinalização turística (clique aqui para conferir). Basta ir atrás.

Há mais de um mês, questionei o secretário, via assessoria de imprensa, a respeito da participação de Ibiúna nos programas de apoio às estâncias. Minha intenção era saber se o município já tirava proveito desses benefícios. A resposta, até hoje, não chegou. Para Mauro Issler, foi mais cômodo retrair-se em um silêncio magoado.

O silêncio dos que sabem não haver meios para justificar o injustificável.

   

12 comentários:

  1. A desculpa da falta de verba somada ao já tarimbado discurso da população: "Em Ibiúna nada vai pra frente", sempre serão desculpa pra nossa cidade continuar estagnada economicamente.

    Lamentável.

    ResponderExcluir
  2. Chegou a hora vamos fazer as pessoas cobrar mas atitude do prefeito a respeito do secretario chupa cabras

    ResponderExcluir
  3. O Mauro é boa pessoa, meu amigo em particular. Porém, Ibiúna precisa mesmo de uma política pública para o desenvolvimento de turismo e não somente medidas isoladas, que pouco interferem no contexto geral.
    Em contrapartida, a melhor notícia para o turismo ultimamente veio da agricultura, em matéria no próprio Estadão, que publicou que ibiúna pode ser capital dos produtos orgânicos.

    ResponderExcluir
  4. O que o Coiti quer? Transformar o turismo no que foi a saúde?Ele mesmo deu entrevista dizendo que pensa como administrador e quem não serve tá fora da prefeitura. Então eu pergunto como esse senhor ainda tá no cargo.É um peso morto e muito pesado para um governo que busca reeleição.

    Adriano

    ResponderExcluir
  5. Meus queridos irmãos ibiunenses,não podemos simplesmente crucificar o Mauro Issler. E por falar em crucificar one foi parar a veba do dade que Ibiuna recebia todo ano? Parece que em 2010 ibiuna não recebeu, e essa verba é especificapara o turismo a não er que eu esteja muito enganado,minha sugestão ao secretário é que ele deixe de lado o medo e comece a correr atras do prejuizo. Ou será que ele tem medo de aparecer? haja visto que em Ibiuna quem aparece um pouco mais que vereador ou alguns secretario tipo da saude e governo vão para a rua,pode ser isso! outro detalhe é que ficando plantado só em ibiuna ele nunca vai saber oque fazer pois não se houve falar que ele participou de algum congresso, visitou outras estancias etc...Na assessoria de imprensa da prefeitura tem um cd com fotos que eu deixei, essas fotos mostram nosso potencial turistico no caminho do vargedo, rio bonito e arredores, são fotos lindas que ja poderiam fazer parte do nosso encarte de turismo, tambem existem fotos do milton tiradas na mesma região que são muito lindas, fora isso tem a cachoeira do salto que apesar de particular poderia se conseguir uma parceria com os proprietarios para se explorar.Tudo isso aliado a nossa historia politica,cultural e religiosa dariam um excelente guia ou não dariam? Eu não chamaria o Issler de imcompetente, apesar de não conhece-lo bem até me simpatizo com o mesmo mas gostaria de ver a secretaria de turismo mais empenhada em mostrar resultados.Fica aqui uma sugestão ao secretário: invista mais do seu tempo no campo buscando alternativas para mostrar nossa Ibiuna, faça parceria com agricultores para o turismo na roça temos lindas e curiosas plantaçoes no nosso municipio e o sr. sabe bem disso pois sei que tambem é agronomo, Quantas pessoas no dia de hoje nunca viram um monjolo trabalhando (fabricando farinha) e Ibiuna ainda tem um em pleno funcionamento(casa de farinha)Porque o sr. não vai até lá e consegue uma parceria com o proprietario antes que acabe esse pedaço de nossa historia(historia do brasil) temos lindas capelinhas em todos os bairros e cada uma conta uma historia basta consultar o sr.Linense, tenho certeza que ele nunca negaria apoio. Agora fica aqui a sugestão aos amigos acima: Vamos criticar sim mas aproveitando vamos tambem dar ideias quem sabe o secretario seja humilde o suficiente para acatar algumas...Pensem nisso para os proximos comentarios. Um abraço a todos

    ResponderExcluir
  6. Seguindo meu comentario: Outro fato que me causa estranheza é o secretário ter medo doque vai falar a oposição, Ibiuna nem tem isso!. De 10 vereadores na camara tenho certeza que nesse caso nem a "oposição" (2) votaria contra, até porque um deles é professor e outro agricultor e posso garantir dariam o maior apoio. Quem quer apostar? fora alguns da base aliada que sempre levam vantagem em tudo iriam exatamente articular algun pontinho extra para esse ou aquele parente ou até para seus cupinchas como é o caso visto em todos os setores como: saude,educação,transporte,obras etc...Seria invenção minha tudo isso? Se conheço um pouquinho a camara posso até apostar com quem quer que seja....Vai também uma sugestão aos nobres "EDIS" Criem leis municipais que incentivem o turismo pois cabe aos srs. fazer leis. Ou não estamos ansados de ouvir a famosa frase (Casa de Leis, Casa do Povo) Apesar de que o povo não manda nada lá pois ja levaram até banana de vereador sorrisinho maroto, sem contar em intimidações sofridas por pessoas que quando pensam em protestar contra algo é recebida por guarda municipal,ameaças, seguranças etc... Portanto como sempre digo TA NA HORA DE ACORDAR... TANTO POVO QUANTO VEREADORES, que não são mais que funcionarios do povo e o pior, funcionarios insubordinados pois sequer pensam em acatar o desejo dos seus patrões (povo)apenas agem pensando em si proprios sempre e só aceitam em serem chamados empregados do povo na hora da eleção....

    ResponderExcluir
  7. Na realidade, eu considero muito simplista falar no turismo como se fosse apenas represa, cachoeira e outras coisas naturais... O turismo deve ser explorado como negócio. Isso tem muito mais a ver com empreendedorismo, associativismo e, sim, uma política pública forte que fomente o desenvolvimento do setor.
    Um exemplo próximo. Estamos fazendo a comunicação da Estação Inverno do Ski Mountain Park em São Roque e já soube que a cidade fará parte de três roteiros turísticos, o do Circuiro do Vinho, do Centro da Cidade e da Raposo Tavares. Cada circuito terá seu conjunto de atrativos. Então, foi uma maneira encontrada para setorizar os serviços na área de turismo e hotelaria, organizando e oferecendo mais opções para o visitante.
    Voltando a Ibiúna, é necessário que o secretário de turismo se relacione com os empresários do setor, busque a união da classe, tenha uma equipe forte para planejar o turismo, não perca mais recursos, tenha coragem e proatividade para trabalhar.
    Para planejar o turismo, a primeira pergunta que deve ser feita é: Que serviços ou produtos ibiunenses têm apelo turístico e podem ser monetarizados, ou economicamente rentáveis? Respondendo a esta pergunta, teremos o início do que podemos chamar de perfil turístico do município.

    ResponderExcluir
  8. Perfeito, Fernando, perfeito!

    ResponderExcluir
  9. Agora vem esse prefeito e demite alguém que faz pela cidade (Adal) e deixa esse Mauro Issler continuar na prefeitura. Brunão vai me desculpar mas não dá pra falar bem de um governo que faz isso.

    ResponderExcluir
  10. Na realidade, talves o "Anônimo que tanto bate-boca com o Julião deve ser um dos remanescentes do período das eleições municipais de 2008. Um puxa saco qualquer ou uma cuitéte(bem provável que seja mesmo uma delas). Mas o gosotso e´, mais do que discutir, ver que a batata dessa laia que está aí no executivo já está assando a muito tempo... O povo já decidiu. Só estão esperando o dia da prócima eleição para escurraçar essa nipomalacaiada pro olho da rua. O tempo é Rei.

    ResponderExcluir
  11. É o Adal estava tendo mais notoriedade que muitos lá! isso incomodou...os competentes saem os incopetentes ficam!!!

    ResponderExcluir
  12. Bruno, Boa tarde!
    Sou de São Paulo e estive na cidade de Ibiuna no último feriado nacional (23/06) e amei a cidade, sou formada em turismo a 2 anos e viajo muito pelo interior paulista, mas quando me dei de "cara" com uma cidade tão gostosa, mas com tantos atrativos fiquei muito chateada, e de alguma forma gostaria de ajudar com a minha experiência e força de vontade.
    Procurei o Centro de Informações Turisticas que estava fechado no feriado, mas retornei no proximo dia (30/06) onde conversei com o Sr. Leonardo, que muito simpático me explicou o que estava ocorrendo na cidade e me forneceu os contatos do secretário (Mauro Issler).
    Realmente pela minha visão de turista e graduada em turismo existem diversas falhas na cidade, porém possui uma ótima estrutura para receber uma grande massa de turistas.
    Gostaria de ajudar no que fosse possivel, não é necessário publicar este comentário, só gostaria de manter contato de pessoas com o mesmo interesse, por isso, deixo meu e-mail para futuros contatos: tamara.zoltoshoff@gmail.com

    Tamara Zoltoshoff de Abreu

    ResponderExcluir

Seu comentário foi enviado e, em breve, será publicado.